Plataformas

Outras Mídias

The Classics Games. Criado por Maxwel Gamer.. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

11 de jan de 2013
(Um jogo que diverte nas primeiras 2 horas, e depois cai em um abismo profundo chamado repetição)

História: A história do jogo é baseada na versão do Universo Ultimate do herói, aonde é apresentado um Peter Parker mais novo. No jogo ele tem que enfrentar vários inimigos clássicos do Aranha como Shocker, Rhino, Electro, e claro, Venom.

Ps: Peço que vocês comentem, pois as análises de jogos de PS2 são mais difíceis de se fazerem e muito maiores do que as dos jogos para outras plataformas.


(Esse garoto vai ser engolido e esgurmitado pelo Venom)

Gráficos: O jogo parece usar o mesmo motor gráfico do The Incredible Hulk: Ultimate Destruction, pois conta com gráficos muito bonitos para a época, com personagens bem modelados e detalhados, e cenários bastante coloridos e cheios de detalhes. Talvez o que mais me agradou é que o jogo é todo feito em cel shading. Para quem não sabe o que significa cel shading, é uma técnica usada para deixar os gráficos cartunescos (técnica usada em Bordelands e na maioria dos jogos 3D de Dragon Ball), o que deixa os gráficos mais parecidos com um anime ou quadrinho, mas o único problema do efeito nesse jogo é que tudo é muito claro ou branco demais nas partes diurnas, mas quando se joga em partes noturnas é de se encher os olhos. As cutscenes do jogo são extremamente bem feitas, contando com umas listras brancas que deixam um ar de que você está assistindo um quadrinho ganhando vida. O jogo é mundo aberto (Sandbox), e como muitos Sandbox da época, ele conta com alguns problemas, como texturas sendo carregadas somente quando você está perto (para não deixar o jogo pesado), e quedas de FPS durante cutscenes e quando muitos inimigos estão agrupados. A Nova Iorque do jogo é muito fiel a real, contando com a Estátua da Liberdade e até a Broadway (que fica muito bonita mas partes noturnas), mas a cidade do jogo tem um problema gravíssimo: ela parece uma cidade fantasma, com pouquíssimo movimento de pessoas e carros nas ruas, o que acaba quebrando um pouco o clima do jogo (além de que é inaceitável ter uma cidade morta 1 ano depois do lançamento de GTA: San Andreas e no mesmo ano de Ultimate Destruction). A animação dos personagens jogáveis (Venom e Homem-Aranha) estão muito bem feitas, mesmo que ocorram uns glitches de colisão ou espasmos dos mesmos durante as lutas, mas infelizmente o mesmo não se pode dizer das animações dos outros NPCs/inimigos, pois tirando alguns Bosses retirados dos quadrinhos (Rhino, Shocker, Wolverine, Besouro...), todos eles tem animações um tanto quanto duvidosas.


(Cenário detalhado, mas que amostra que Nova Iorque não tem muitos pedreiros)

Som: O som do jogo está muito bem feito, com efeitos sonoros bem característicos e músicas muito bem escolhidas. A dublagem do jogo está muito bem feita, com vozes que combinam perfeitamente com os personagens e uma sincronia facial bem acima dos outros jogos da época, sendo o Spider-Man daquela geração com a melhor dublagem, mesmo que isso não seja uma meta muito difícil, pois os outros jogos tem umas dublagens podres demais. A OST do jogo se mostra ausente a maior parte do tempo (talvez para você desfrutar do som do ambiente), mas quando dá o ar da sua graça vem com tudo, com músicas muito bem feita e que conseguem te empolgar.


(Gameplay do Venom parece uma versão inferior do Hulk no Ultimate Destruction)

Jogabilidade: O jogo te faz jogar com o Homem-Aranha no mundo aberto e nas missões e com o Venom somente em missões específica. O controle com o Aranha conta com socos, chutes, agarrões, grudar na parede/teto, atirar teia nos inimigos (que não é muito eficiente durante as batalhas, diga-se de passagem), se balançar com a teia e jogar teia na parede/chão/teto para ganhar impulso. Com o Venom não muda muita coisa, sendo que as alterações se referem a ele não se balançar com a "teia" do simbionte e atirar ela, ao invés disso você dá um pulão no melhor estilo "Ultimate Destruction" e você pode engolir um NPC/inimigo para recuperar HP. No geral os controles funcionam bem, mas parece que a Treyarch se esqueceu de que para o jogo funcionar precisa de Side-Missions e Missões Principais que sejam gratificantes de se fazer. As Side-Missions só tem de 2 tipos: Corrida, aonde você tem que passar por umas esferas até finalizar (em algumas você enfrenta o Tocha Humana), mas como o controle do Aranha de se balanças nas teias não é dos melhores, essa missões são um tormento; Bata em uma Gangue (minha versão do título), aonde você tem que socar/chutar uma gangue e depois seguir a seta até outra gangue e fazer isso até a missão acabar (Enjoa bagaraio). Ns missões principais eles dão mais variedade, mas, como o combate e a locomoção dos personagens não são o forte do jogo, isso acaba frustrando em algumas fases (como na fase aonde uns mercenários ficam querendo matar o Venom, ou na seguinte aonde você tem que seguir e meter a porrada no Electro com o Venom). Os combates do jogo são legalzinho, mas tem muitos jogos no mesmo estilo (até mesmo de super-heróis) que estão  muito mais avançados nesse quesito, sendo que tudo soa muito automático demais (mas mesmo assim dá pro gasto). Uma coisa que me frustra bastante no combate com o Aranha é que depois de acabar com o HP do inimigo, você tem que jogar a teia nele antes que ele se levante de novo, o que é uma merd@ (é tão idiota quanto você ter que prender os meliantes caídos em algum Beat em Up)  pois em alguns casos você tá cercado de inimigos e não tem como você jogar teia nos que tão caído. O jogo ainda conta com umas missões aleatórias durante o mundo aberto, como "Impeça que eles roubem um(a) banco/pessoa", "Salve uma pessoa de cair de um prédio", "A ambulância quebrou e você tem que levar o paciente ao hospital", "Um meliante está numa perseguição policial e você tem que ajudar a policia" e tals, mas elas são tão rápidas e rasas que chegam a te atrapalhar em alguns momentos. As coisas mais prazerosas do jogo é você subir em um prédio muito alto e cair com tudo, mesmo que não te dê uma boa quantidade de adrenalina (se colocassem um blur e um efeitinho de velocidade já bastava) já vale, e a outra coisa é você passar varado entre 2 prédios em um micro espaço. Uma coisa que eu senti falta foi um sistema de upgrade de golpes, o que poderia dar mais longevidade ao jogo.



Nome do jogo: Ultimate Spider-Man
Plataforma: PS2, Xboc, Game Cube, PC, Celular, GBA, Nintendo DS
Gênero: Ação/Aventura, Beat em Up
Desenvolvedora: Treyarch
Distribuidora: Actvision
Ano do Lançamento: 2005

Notas:

Gráficos: 9
Sons: 9
Jogabilidade: 6
Diversão: 6
NOTA FINAL: 7,5

Conclusão: O jogo me deixou muito pensativo em alguns aspectos, os principais deles é como a repetição pode acabar com um game e que deve ser um porre trabalhar como o pessoal de limpeza e construção em Nova Iorque com o Aranha deixando seus rastros de fezes teia por prédios e vilões destruindo tudo (respectivamente). O jogo é muito bom tecnicamente, tem controles bem posicionados, mas o que matou o jogo foram as missões fracas e repetitivas. Para os fãs hardcore do herói (que aguentaram e ainda aguentam muita merda , é um jogo legal para se jogar.

Prós
Gráficos
Cel shading bem feito
Som e Músicas
Dublagem muito bem feita
Controles bem estruturados
Queda livre de um prédio altíssimo
Bosses dos quadrinhos
Muitas áreas para serem acessadas

Contra
Missões repetitivas e chatas
Queda de framerate
Alguns bugs chatos
As fases do Venom não são lá essas coisas
Combate mecânico
Pouca adrenalina


Se você quiser de qualquer forma contribuir com o blog, ser um colaborador ou qualquer outra coisa sempre deixe um comentário. Comente sobre a análise e alguma história com a série/jogo (e dê muitos puxões de orelha se eu falei alguma besteira).

3 comentários:

Kaique disse...

Realmente muito bonito o visual do jogo, eu nunca tinha visto esse, mas o Spider Man do PS1 era um dos meus favoritos

sapato games disse...

gosto muito desse jogo, tem la os seus pontos fracos mas é bom, minha nota é:8,0

DAVE disse...

muito bom essa analise !!!

Parceiros