Plataformas

Outras Mídias

The Classics Games. Criado por Maxwel Gamer.. Tecnologia do Blogger.

Seguidores

25 de ago de 2012
(Uma divertida releitura da 1ª batalha final de Metro City)

Ps: Eu estou procurando autores de análises que querem participar do blog, os interessado entrem em contato comigo.


Obs: Os nossos parceiros Shugames e Retroplayers fizeram um review sobre esse jogo. Se você tiver vontade de ler esses reviews, clique aqui (Shugames) e aqui (Retroplayers)


          (Uma das belas cutscenes do jogo)

História: Mighty Final Fight é rodado na metrópole fictícia americana de Metro City, onde um ex-lutador profissional chamado Mike Haggar é eleito prefeito, prometendo lidar com os problemas criminais da cidade em sua campanha. A gangue Mad Gear, a organização criminosa dominante na cidade, sequestra a filha de Haggar dizendo que se ele não entregar o seu cargo, a sua filha, Jessica, irá sofrer as consequencias. Contando com a ajuda de Cody, namorado de Jessica e um mestre em artes marciais, bem como um amigo de Cody, Guy um mestre em Ninjutsu, Haggar opta então a lutar pela sua filha em vez de entregar o seu cargo.



              (Mapa com as fases do jogo)

Gráficos: O jogo utiliza do estilo SD (Personagens infantis e cabeçudos), que deu mais carismas para os personagens e inimigos do jogo. A Capcom conseguiu espremer muito  do pobre hardware do NES com esse jogo, resultando numa riqueza de detalhes nenhum Beat em Up do console conseguiu ter, só Battletoads. Os cenários são bastante coloridos, bem detalhados e com um ar caricato, que caiu muito bem com o climão do jogo. Por causa do cabeção dos personagens, os desenvolvedores puderam colocar expressões faciais nos personagens, uma coisa que nem o Final Fight do arcade teve, mostrando caretas engraçadas quando o personagem toma porrada. O jogo também conta com cutscenes (coisa rara de ter no NES) muito bem feitas e caricatas.



(O "pilão" foi criado por Haggar, mas, ele não patenteou e Zanguief roubou esse golpe e ficou com o crédito)

Som: O som em geral do jogo consegue está na mesma qualidade dos gráficos, estando muito bem feito no geral. As músicas são muito bem compostas, grudentas e gostosas de se ouvir, utilizando muito bem a limitação do chip de som do NES (fiquei encantado com a melodia do Boss Theme e Round 3 Theme). Os efeitos sonoros acompanha a qualidade do jogo, com um som de porrada bem marcante e um efeito de "level up" inconfundível com o resto dos efeitos do jogo.



         (Tela de seleção de personagens)

Jogabilidade: O jogo tem uma jogabilidade mais solta se comparado com o Final Fight original, lembrando muito a jogabilidade de River City Ransom (só que sem o botão de chute). O jogo não tem co-op, o que faz um chiado muito grande na blogosfera, mas, como eu gosto do estilo Gamer Solitário, não senti falta alguma. O jogo conta com um sistema inovador de níveis, que aumenta o life quando se atinge uma quantidade de XP pedida (se tiver outra funcionalidade eu não senti). O jogo também conta com movimentos especiais que homenageiam os jogos de luta, como o Cody mandar um shoryuken no final do combo, ou o mesmo mandar um vento com uma só mão.





Nome do jogo: Mighty Final Fight
Plataforma: NES
Gênero: Beat em Up
Desenvolvedora: Capcom
Distribuidora: Capcom
Ano do Lançamento: 1993

Notas:

Gráficos: 10
Sons: 10
Jogabilidade: 9,5
Diversão: 10
NOTA FINAL: 9,75

Conclusão: Divertido, bonito, bem feito, são essas palavras que definem MFF, que consegue ser melhor do que o FF original, além de ter deixado os personagens mais carismáticos. O estilo SD caiu como uma luva para o jogo, que é um dos melhores jogos de NES que eu já joguei, além de um clássico eterno que merece ser jogado.

Prós
Gráficos bonitos
Som gostoso de se ouvir
Jogabilidade mais leve e solta
Tem os 3 personagens do FF original (chupa versão do SNES)
Caretas engraçadas
Final muito engraçado
Novos elementos
Cutscenes bem feitas
Sistema de XP inovador para um Beat em Up

Contra
A falta de co-op pode decepcionar algumas pessoas (não ter co-op não é um contra para mim, mas...)
Não tem armas brancas durante grande parte do jogo
Bosses ficam se repetindo

Se você quiser de qualquer forma contribuir com o blog, ser um colaborador ou qualquer outra coisa sempre deixe um comentário. Comente sobre a análise e alguma história com a série/jogo (e dê muitos puxões de orelha se eu falei alguma besteira).

2 comentários:

Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner disse...

já zerei ele com o Guy, chega ser mais divertido do que o game dos Arcades e principalmente a do SNES. eu me pergunto porque não é possível ir para dois personagens num console?

hunk br disse...

esse final fight do nes é showw tenho ele aqui em portugues e finalizei um dos melhores games de briga de rua do nes

Parceiros